Empresário

É game design, game developer e CEO da desenvolvedora indie.

Jornalista

É colunista de tecnologia da rádio Band News FM.

Professor

Professor de Jogos digitais e Design gráfico do Centro Universitário UDF.

Palestrante

Em eventos de comunicação, ate e tecnologia.

Artista Digital

Desenhista, animador, infografista, editor de imagem e game design.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Rede social para mortos?

Um site brasileiro inaugurado no final de 2014 está tentando mudar a forma como lidar com a dor e a saudade da morte de algum ente querido. O site permite criar um memorial para a pessoa. A ideia é que os familiares e (ou) amigos criem uma página com fotos, vídeos, música, biografia e até mesmo testemunhos via Facebook. Outro recurso interessante é a aba “Obituário”, que permite adicionar a localização da lápide da pessoa falecida no Google Maps. Quem quiser conhecer a novidade é só acessar o link:
http://memorialonline.com.br/

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Batman e Robim não eram gays

Foi na edição de 29 de maio de 1947 que o semanário Saturday Review of Literature, publicou um artigo explosivo sobre quadrinhos, acusando-os de serem “violentos e carregados de perversões sexuais”. Segundo seu argumento, 90% dos menores delinquentes em Nova York liam gibis; logo, eles eram responsáveis pela criminalidade. Começava a cruzada contra as histórias em quadrinhos liderada pelo psiquiatra do sistema judiciário Frederick Wertham.

Em 1948, Wertham lotou um ginásio com a palestra “A Psicopatologia das Histórias em Quadrinhos”. No fim do ano, a revista Time noticiava uma queima de revistinhas em algumas cidades norte americanas. Os alvos prediletos do psiquiatra eram Super-Homem, Mulher Maravilha e Batman. Wertham, aliás, foi o primeiro a falar que o homem-morcego era gay. 

Em 1954, o psiquiatra escreveu sua obra mais conhecida, A Sedução dos Inocentes. Mais uma paulada nos quadrinhos. Dessa vez, chamou a atenção até do Congresso americano, que pressionou as editoras a criarem um código de ética, o Comics Code. Ele caiu em desuso só em 1971, por causa da pressão corajosa de Stan Lee – criador da Marvel Comics.

Em 1973, Wertham deixou todos estupefatos declarando-se fã dos quadrinhos que ele quase destruiu. Chegou a escrever um livro com elogios aos gibis e pedir desculpas pelas besteiras que escreveu, porém, o estrago criado por ele continua até os dias de hoje.

Portanto, se você afirma que Batman e Robim são um casal gay, provavelmente não conhecia esse momento histórico em que gibis eram a causa de todos os males da juventude. Atualmente, a bola da vez são os videogames. Se uma simples borboleta bater de asas e influenciar o curso natural das coisas, a culpa é dos games!


quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

O WhatsApp ultrapassa 700 milhões de usuários

O WhatsApp ultrapassou a marca de 700 milhões de usuários ativos por mês, segundo anunciou Jan Koum, cofundador do aplicativo. Isso representa um crescimento de 100 milhões de usuários comparado com agosto do último ano. A plataforma, adquirida pelo Facebook no início de 2014, também informou que por dia os usuários trocam mais de 30 bilhões de mensagens. Apesar da grande quantidade de usuários ativos, o WhatsApp não dá detalhes se o aplicativo é lucrativo. A companhia também não diz quantos usuários pagam pelo uso do serviço e quantos utilizam gratuitamente.


quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Alex Leal lança novo game

Divirta-se neste game de ação e ajude o PAPAGAIO a sobreviver aos perigos da floresta! 
Use suas habilidades para voar entre inimigos e pegar muitas frutas para alimentar seus filhotes! 
PAPAGAIO LIZARDS é um game com jogabilidade simples que pode ser jogado por curtos períodos de tempo sem comprometer o desempenho do jogo. É um excelente passatempo e conforme você avança as fases, mais complexo é o desafio. O jogador pode postar seu HIGHSCORE no Twitter ou no Facebook e desafiar seu amigos!


DOWNLOAD GRATUITO NA GOOGLE PLAY
https://play.google.com/store/apps/details?id=com.lizardsgames.Papagaio&hl=pt-BR

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Smartphones vão substituir cartões de compras

Você anda cansado de carregar vários cartões, de lojas, de crédito ou de débito”? Pois esse é um dos motivos para que em 2015 os pagamentos móveis façam cada vez mais parte da vida das pessoas. Uma pesquisa da Ericsson, realizada com donos de smartphones em todo o mundo, mostrou que 48% deles prefere carregar apenas o celular e, deixar a carteira em casa. A apple foi a pioneira em pagamento de contas com smartphones, quando colocou para funcionar o Apple Pay, seu sistema que quita contas apenas com a aproximação entre celular e terminal de pagamento. Em 72 horas, mais de um milhão de cartões de crédito já estavam registrados só nos EUA. A tendência mundial em tecnologia é que smartphones tornem-se indispensáveis para o dia a dia das pessoas.